Como os bancos de alimentos em Quebec podem ajudar imigrantes recém-chegados

Os bancos de alimentos em Quebec desempenham um papel importante na comunidade, fornecendo alimentos gratuitamente ou a preços acessíveis para pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade. Para imigrantes recém-chegados, em particular, essas organizações são fundamentais para ajustar o orçamento enquanto eles se estabelecem em sua nova vida.

Banco de Alimentos Creditos Aaron Doucett
()

O que são bancos de alimentos?

Muitos imigrantes recém-chegados podem enfrentar desafios financeiros enquanto se adaptam a um novo país, principalmente em seu primeiro ano. Isso pode incluir dificuldades para encontrar emprego, lidar com as despesas de acomodação como locação de imóvel, mobiliário e até custos com vestuário adequado para se adaptar ao clima do Canadá. Nesse sentido, os bancos de alimentos podem ser uma fonte vital de ajuda para muitos imigrantes.

Além disso, Les bénévoles (como são chamados em Quebec) fornecem alimentos também oferecem serviços adicionais que podem ser úteis para imigrantes. Por exemplo, o CACI Montréal oferece uma variedade de programas, incluindo serviços de aconselhamento e empregabilidade, que podem ajudar imigrantes recém-chegados a se conectar com recursos e oportunidades em sua nova comunidade.

Leia também: Quebec para brasileiros recém-chegados: Dicas sobre a cultura local

Para acessar esses serviços, imigrantes recém-chegados podem entrar em contato com as estas organizações diretamente ou procurar informações em entidades de apoio para imigrantes locais. As organizações de apoio para imigrantes podem ajudar os recém-chegados a se conectarem com os recursos necessários como banco de alimentos e outros serviços.

Quebrando Tabus

Começar do zero, isso é algo que muitos imigrantes como eu só se dão conta quando fazem uma transição de país e sofrem com os choques mais comuns, entre eles, a cultura, o idioma e por fim, a troca de moeda.

E um bom exercício para testar seus nervos de recém-chegado é certamente sua primeira ida ao supermercado. Você vai logo notar que itens como, carne, leite, queijo e algumas frutas e legumes que costumava comprar a preços relativamente acessíveis no Brasil, mesmo em tempos de alta inflação, não serão tão fáceis de digerir quando a conta para pagar vier em dólar canadense (praticamente quatro vezes o valor do real).

Pra quem não conhece minha história, serei breve. Cheguei ao Quebec como estudante internacional em 2018, acompanhado de esposa e duas filhas e, como todo expatriado que se preze, passei por todo o tipo de experiência que pode imaginar nas terras geladas do norte.

Também não preciso dizer que essa aventura que chamamos carinhosamente de imigração tem um preço que nem todo mundo está disposto a pagar. E como tal, também não se trata de um projeto para amadores. Exige um complexo planejamento financeiro para que você seja capaz de manter sua família com um mínimo de dignidade por até um ano, assim, tenha em mente que este plano sempre deve incluir o pior dos cenários possíveis a fim de evitar algumas frustrações bem conhecidas da vida de imigrante.

Leia também: O que preciso para estudar e trabalhar no Canadá

E porque estou contando essa saga de imigrante já bem batida? Simples, é sempre bom dar um choque de realidade em quem pretende fazer esse recomeço, mas ainda não quebrou alguns tabus nesse processo, como o de recorrer a serviços destinados a pessoas de baixa renda. No Brasil, a menos que esteja em situação de risco alimentar ou que ganhe pouco mais de um salário mínimo, dificilmente você seria uma candidato a algum tipo de ajuda humanitária ou teria acesso a programas sociais do governo. E vamos combinar uma coisa, se você é um candidato a imigração canadense é provavel tem alguma bala na agulha para chegar aqui.

Quem pode ser considerado pessoa de baixa renda no Canadá?

No Canadá, o conceito de “baixa renda” varia de acordo com diversos fatores, como a região onde a pessoa reside e o tamanho da família. Porém, o governo do Canadá utiliza uma medida chamada de Low-income measure, after tax (LIM-AT) para determinar a elegibilidade de programas sociais.

Segundo os dados mais recentes (2019), a LIM-AT varia de acordo com o tamanho da família e da região, mas, em média, uma família de quatro pessoas na província de Quebec é considerada de baixa renda se a renda anual familiar após impostos (líquida) for inferior a CAD 52.000. No entanto, é importante ressaltar que essa é apenas uma medida de referência e que o governo leva em consideração outros fatores socioeconômicos para determinar a elegibilidade de programas sociais.

Agora você deve estar pensando, até que ser baixa renda no Canadá não é um mau negócio. Bem, isso até você descobrir que o buraco é bem mais embaixo, principalmente agora que o Canadá atravessa uma de suas maiores recessões dos últimos 10 anos.

Quando cheguei em Quebec em 2018, esse valor era inferior a CAD 50 mil, certamente, outros tempos. Na prática, uma renda familiar líquida de CAD 52 mil por ano seria o equivalente a pouco mais de um salário de CAD 13 por hora para cada um dos parceiros, valor menor que o salário mínimo em Quebec, que é de CAD 14.25 por hora.

Outro componente importante nesse cenário foi COVID-19, uma vez que uma parcela bem menor de canadenses era usuário dos bancos alimentares antes de 2020. Depois que a pandemia deixou suas marcas e o índice de inflação nos preços de alimentos disparou, esse número cresceu consistentemente até mesmo entre as familias de classe média.

Leia também: “Como Encontrar Aluguéis Mais Baratos Em Montreal”

Viu agora que não é difícil ser considerado baixa renda no Canadá? Bom, agora que sabe disso, nem pense duas vezes em se habilitar em programas de ajuda alimentar assim que chegar, pois a conta do supermercado pode subtrair rapidamente suas reservas financeiras. Eu diria, inscreva-se em quantos mais você puder. Eles foram de grande ajuda no meu orçamento até que eu me formasse e conseguisse voltar para o mercado de trabalho, algo que levou mais de um ano.

Como acessar bancos de alimentos na província de Quebec?

Se você está precisando de alimentos no Quebec, existem várias organizações de bancos de alimentos que podem ajudar. Abaixo estão alguns passos que você pode seguir para utilizar bancos de alimentos no Quebec:

Como os bancos de alimentos em Quebec podem ajudar imigrantes recém-chegados
Banco de Alimentos – Créditos: Joel Muniz
  1. Encontre um banco de alimentos perto de você: O primeiro passo é encontrar um banco de alimentos perto de sua localização. Para isso, você pode usar um site como o “Banques Alimentaires Québec“, que lista as organizações de bancos de alimentos em diferentes regiões do Quebec. Você também pode buscar no Google ou em grupos de ajuda em redes sociais.
  2. Verifique os requisitos de elegibilidade: Cada organização de banco de alimentos pode ter seus próprios requisitos de elegibilidade. Geralmente, os bancos de alimentos exigem que você forneça algumas informações básicas, como o tamanho da sua família e sua renda. Algumas organizações podem exigir que você apresente comprovante de residência no Quebec e identificação válida ou mesmo alguma comprovação de renda.
  3. Faça sua inscrição diretamente no banco de alimentos: Depois de verificar os requisitos de elegibilidade, você pode entrar em contato com o banco de alimentos para agendar uma visita ou ir diretamente ao local. A grande maioria dos bancos de alimentos exigem uma taxa de inscrição (tipo uma anuidade) com valor muito acessível para fornecer uma carteirinha.
  4. Retire os alimentos: Ao visitar o banco de alimentos, apresente sua carteirinha para receber uma cesta ou sacola pré-selecionada de alimentos que são distribuídos a um custo muito baixo (ou eventualmente gratuitos). Geralmente, os alimentos disponíveis incluem produtos não perecíveis, como arroz, macarrão, enlatados, além de frutas e legumes frescos e pães. Algumas organizações podem pedir que você agende uma consulta antes de retirar os alimentos, enquanto outras podem permitir que você visite o banco de alimentos em horários específicos (Geralmente uma vez por semana).

De onde vem estes alimentos?

Os alimentos oferecidos pelos bancos de alimentos de Quebec geralmente vêm de várias fontes, incluindo doações de alimentos de empresas e indivíduos, bem como programas governamentais de apoio à agricultura e à alimentação.

Esses bancos de alimentos trabalham em parceria com empresas de varejo de alimentos, produtores agrícolas locais e distribuidores de alimentos para coletar alimentos que não foram vendidos ou que estão perto de sua data de validade, mas ainda são seguros para consumo humano.

Eles também coletam alimentos não perecíveis, como enlatados e produtos secos, por meio de doações de alimentos em campanhas de arrecadação de fundos e eventos de caridade. Após a coleta, esses alimentos são classificados e distribuídos para as organizações que trabalham com pessoas em situação de vulnerabilidade em Quebec.

Dicas para aproveitar melhor os bancos de alimentos em Quebec

  1. Evite grandes distancias: Evite se cadastrar em bancos de alimentos cuja localização esteja muito distante perímetro de seu endereço. Se tiver que se deslocar por mais de uma 1 hora no transporte público para chegar a algum banco, há grandes chances do seu cadastro ser rejeitado. Em alguns casos, é possível usar o endereço de sua instituição de ensino como referência, caso seja estudante. No meu caso deu certo.
  2. Chegue cedo: Fique atento ao horário de abertura. Sei que isso é algo que nem todos podem fazer, mas tenha em mente que os retardatários normalmente ficarão com as sobras das cestas ou em alguns casos, podem até voltar de mão vazias.
  3. Esteja preparado para carregar peso: Leve suas próprias sacolas, mochilas e carrinho de compras. Em alguns bancos é possível conseguir alimentos refrigerados como leite, queijo, iogurte e até carnes, mas eles só permitem que você os leve se tiver alguma bolsa térmica ou cooler para transportar.
  4. Não faça cara feia para datas de validade: Tecnicamente, alimentos que já passaram de sua data de validade ainda possuem uma margem segura de consumo. Bancos alimentares no Canadá seguem regras bem rígidas para distribuição de alimentos, assim, vá de mente e corpo abertos.
  5. Não se limite a apenas um: Como já mencionado, os bancos variam muito, então é possível que não consiga encontrar um pacote ideal que atenda a suas necessidades.
  6. Leve apenas o que realmente vai consumir: Alguns bancos de alimentos fornecem pacotes que podem variar de acordo com a época no ano ou em datas especiais, entregando cestas mais carregadas de um determindo produto, assim, não abuse disso se não vai consumir. Não faça cerimônia em dizer que é muita comida para você. Lembre-se, sempre vai haver alguém que precisa mais do que você.

Ícone de Dicas Dica Bônus!
Pague um pouco mais para receber mais
: Alguns bancos de alimentos funcionam como mercadinhos solidários (ou Épicerie solidaire), diferentemente do padrão adotado pelos bancos comuns, neles, você pode escolher os alimentos como se estivesse numa mercearia normal, mas obedecendo a limitação de unidades de acordo com o pacote que você optou. Eu mesmo usei por um tempo serviços como esse no GEMO. Pagava o equivalente a CAD 15 por uma cesta semanal que me custaria facilmente mais de CAD 100 em um supermercado como o Walmart. (Lembrando que esses são valores de 2019 quando eu ainda era usuário)

Reflexões finais

É importante deixar claro que boa parte das pessoas envolvidas na distribuição social de alimentos trabalham de forma voluntária ou recebendo salários abaixo da média. Muitas delas só estão ali tentando, de alguma forma, fazer a diferença na vida de alguém menos favorecido.

Esse é um ciclo contínuo, que deve ser praticado por quem um dia foi beneficiado, como eu e muitos de meus amigos, passando de usuário a voluntário. Eu, minha esposa e filhas já deixamos nossas pequenas contribuições em alguns momentos e, sempre que podemos, tentamos retribuir essa ajuda de alguma forma em eventuais atividades comunitárias.

Uma das iniciativas que sempre faço questão de mencionar é o maravilhoso trabalho de apoio ao imigrante de língua portuguesa prestado pelo Le Centre d’aide à la FamilleCAF em Montreal. Esse espaço já foi um lar de acolho para muitos brasileiros recém-chegados em busca de um pouco do calor humano de seus conterrâneos. Posso dizer que foi fundamental para minhas filhas adolescentes numa época difícil de adpatação.

Meu último conselho é, não tenha receio em vencer outro grande tabu sobre a vida exterior. O de fugir das suas comunidades. Você vai descobrir que existem alguns brasileiros em Quebec com muito conforto a oferecer sem pedir nada em troca.

O projeto Você no Quebec foi uma das formas que encontrei de ajudar o maior número de pessoas possível, assim, se puder dar uma força compartilhando os textos com quem precisa estará ajudando nossa comunidade também.

Você também pode se sentir em casa acessando nossa sessão Brasil no Quebec. Encontre profissionais, produtos e serviços com a cara do Brasil numa rede que fala a sua língua.

Bom, era isso que eu tinha para dizer hoje. Se quer mais dicas como essas, inscreva-se em nossa newsletter para receber atualizações sobre a vida no Canadá, sobretudo em Quebec e Montreal.

Nos vemos no próximo post! 😉

Esse artigo foi útil para você?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Ajude mais pessoas compartilhando esse artigo em suas redes sociais

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comments

  1. A informação é muito rica e esclarecedora.
    Estou fazendo pesquisas do Canadá. E já estou tendo acompanhamento do nosso consultor.

    Bibiana Ramos.
    Maputo.

    1. Olá Bibiana, fico feliz que tenha ajudado. Tenho estado um pouco ausente do blog neste último mês por falta de tempo, mas voltarei com muito mais conteúdo em breve. Sucesso para seu projeto!