PUBLICIDADE

Lazer | Turismo

Rafting em Montreal: Desafie sua coragem enfrentando as corredeiras do Rio Saint-Laurent

Prepare-se para uma aventura emocionante enfrentando as famosas Le Rapides de Lachine no Rio Saint-Laurent a bordo de um bote cheio malucos em busca de adrenalina – e tudo isso sem sair da ilha! No verão passado, tive a oportunidade de testar o rafting em Montreal e, neste post, compartilho minha avaliação honesta sobre se essa é realmente uma experiência que vale a pena. Acompanhe-me enquanto compartilho minha experiência e descubra se o rafting em Montreal é uma atividade realmente imperdível para você.

Por Marco Vasconcelos

Publicado em 18 de março de 2024

Atualizado há 2 semanas

Rafting em Montreal: Desafie sua coragem enfrentando as corredeiras do Rio Saint-Laurent

Lista de tópicos:

()

Montreal e seu vínculo profundo com a água

Quem poderia imaginar que Montreal, a segunda maior cidade do Canadá, com seu distintivo toque europeu, rica história e diversidade cultural, também seria um paraíso para atividades aquáticas durante verão, situado praticamente no coração da cidade?

Quando optamos por nos mudar para Montreal em 2018, uma das características mais encantadoras foi o fato de que a cidade está inteiramente cercada por água. A ilha é abraçada pelo majestoso Rio São Lourenço ao sul e pelo Rivière des Prairies ao norte, proporcionando uma dezena de atividades de lazer sem que seja necessário percorrer longas distâncias na estrada para alcançar a natureza.

Uma curiosidade fascinante sobre Montreal é que há mais residentes na ilha de Montreal do que em qualquer outra ilha cercada por água doce em todo o mundo. Assim, não seria surpresa que tantas pessoas escolham Montreal, a ilha fluvial mais densamente povoada do mundo, como seu lar. As águas que a cercam são verdadeiramente encantadoras.

ft02 1
Dois inocentes sem saber o que virá pela frente – Fonte: Arquivo Pessoal

Para minha esposa e eu, dois loucos por natureza e água, ficar longe das nossas praias no nordeste do brasileiro seria um preço alto demais a pagar. Portanto, nossa decisão de viver numa ilha não foi por acaso, especialmente considerando nossa visita a algumas cidades canadenses como turistas em 2017.

Leia também: 8 coisas que deve fazer numa viagem exploratória ao Canadá antes de imigrar

Um pouco da história náutica de Montreal

O porto de Montreal não apenas detém o título de maior porto interior do mundo, mas também foi fundamental para a colonização e fundação do que hoje é conhecido como Canadá.

Desde sua fundação em 1642, embarcações de todos os tipos e tamanhos têm navegado pelos diversos canais de Montreal, tanto dentro como ao redor da cidade.

Leia também: Montreal é eleita a cidade mais segura do Canadá e está no Top 3 do mundo

PUBLICIDADE

Ao longo dos séculos, ele serviu como uma via crucial de transporte, facilitando o comércio e a troca de mercadorias entre o interior do país e o resto do mundo. Localizado estrategicamente no Rio São Lourenço, Montreal se tornou um centro vital de importação e exportação, conectando o vasto território canadense às rotas marítimas internacionais.

No entanto, poucos sabem dos perigos que as águas do porto já representaram no passado. Ao sudoeste de Montreal, encontramos as poderosas Lachine Rapids ou Les Rapides de Lachine, uma série de ondas estacionárias situadas a oeste do centro da cidade, no Rio Saint-Laurent.

A descrição das infames Lachine Rapids é verdadeiramente impressionante quando representadas em gravuras históricas como a que vemos seguir: ondas pulverizadas por rochas submersas, passagens rápidas a poucos metros das rochas e a possibilidade de naufrágio total com um simples toque nas rochas submersas.

Gravura de epoca Lachine Rapids Canada
Gravura de época Lachine Rapids Canadá – Créditos: Site Lookandlearn

Antes da construção do Canal Lachine, essas corredeiras representavam um grande desafio para as embarcações que navegavam na região, sendo o berço histórico da cidade. As Lachine Rapids foram a primeira barreira natural que forçou os exploradores franceses a transportar suas canoas para continuar sua jornada rumo ao oeste, atravessando os Grandes Lagos.

Corredeiras do Rio Saint-Laurent

Classificadas como corredeiras de classe cinco, elas desafiam até mesmo os caiaquistas mais experientes em águas brancas. Estas corredeiras são as segundas maiores em volume de água navegável na América do Norte, superadas apenas pelo Rio Colorado, com um impressionante volume de mais de meio milhão de pés cúbicos por segundo.

Se você acha que toda essa descrição assustadora nos fez desistir de fazer Rafting em Montreal, está muito enganado. As Lachine Rapids são conhecidas pela população local como um verdadeiro playground, não apenas para praticantes de rafting, mas também para outras atividades como surfe, caiaque e Jet Boat (nossa próxima aventura neste verão).

E se você leu “surfe”, leu certo. Você não está enganado, pois há espaço para todo tipo de maluco por aqui. Você pode conferir o vídeo do meu brother brasileiro e super esportista, Vander Amaral, em Montreal. No vídeo, ele mostra como surfar nas Lachine Rapids.

Bem, agora que já compartilhei um pouco sobre a história e a geografia hídrica de Montreal, vamos ao que realmente interessa: como é a experiência de fazer rafting em Montreal?

PUBLICIDADE

Como é fazer Rafting em Montreal?

Bem, não posso descrever como um profissional, já que foi minha primeira vez fazendo algo assim em um rio com margens tão amplas. Enfrentei algumas aventuras em corredeiras de rios no Brasil quando era mais jovem, mas nada como essa que fizemos.

Leia também: Morar em Montreal: 12 Pontos que deve considerar antes viver nesta cidade

Antes de encarar o desafio, você pode até assistir alguns vídeos na internet, observar o passeio de longe, mas não consegue ter uma noção real da emoção até estar dentro do barco.

Assim, para tentar transmitir o mais próximo do que experimentamos, vou mostrar isso em um dos melhores vídeos que encontrei no YouTube. Que aliás, não produzido pela Rafting Montreal, a empresa que contratamos para fazer o passeio.

Bem, agora que já compartilhei um pouco sobre a história e a geografia hídrica de Montreal, vamos ao que realmente interessa: como é a experiência de fazer rafting em Montreal?

Quando praticar o Rafting em Montreal?

O rafting em Montreal é mais praticado durante os meses de primavera e verão, quando as condições do rio são mais adequadas e as temperaturas são mais amenas. Geralmente, a temporada de rafting começa na segunda metade de maio e vai até setembro. Durante esse período, o fluxo de água no Rio São Lourenço é mais consistente e propício para a prática do esporte.

No entanto, é sempre importante verificar as condições específicas do rio e as recomendações das empresas locais de rafting antes de planejar sua aventura.

Dica! Durante a temporada que vai de maio a junho, o rio se torna mais intenso devido ao degelo, o que resulta em um volume de água significativamente maior nos rios canadenses. Nesse período, espera-se águas mais frias e turvas (12 a 17°C). Já entre os meses de julho e agosto, as águas tornam-se mais calmas e claras, oferecendo temperaturas mais confortáveis (23 a 25°C) para um mergulho durante a prática do rafting. No entanto, a partir de setembro, após o fim do calor intenso, o rio começa a esfriar novamente (20°C).

PUBLICIDADE

É claro que nós experimentamos o rafting em Montreal no melhor momento, em 26 de junho de 2023, logo no início do verão canadense. No entanto, para aqueles que são corajosos e não têm medo da água fria, já é possível se aventurar nas corredeiras a partir da segunda quinzena de maio, durante a transição da primavera para o verão.

Onde praticar o Rafting em Montreal?

O rafting em Montreal é predominantemente praticado nas corredeiras de Lachine, situadas no Rio São Lourenço, ao sudoeste da cidade. Para os residentes dos bairros de Lasalle, Lachine ou Verdun, a proximidade é uma vantagem significativa.

Leia também: Bairros de Montreal: Guia de Verdun

Para aqueles que vêm de outras regiões da cidade ou estão em Montreal fazendo turismo, a estação de metrô mais próxima é Angrignon, localizada na linha verde. Além disso, há duas linhas de ônibus (110 e 113) que deixam os visitantes em uma curta distância do local. Adicionalmente, o estacionamento é fácil e gratuito nas imediações.

Mapa Montreal Rafting
Localização de onde praticar Rafting no mapa de Montreal – Fonte: Google Maps

Leia também: Bairros de Montreal: Conheça as 4 regiões dessa ilha e seus contrastes

Qual empresa contratar?

Primeiramente, gostaria de esclarecer que não estou sendo patrocinado pela empresa que mencionarei a seguir. Minha opinião sobre o serviço é puramente informativa e turística, uma vez que não encontrei nenhum comentário detalhado sobre o passeio em Montreal e achei que o tema merecia um destaque em português.

Dito isso, não há muito o que escolher, uma vez que apenas uma única empresa em Montreal oferece este serviço. Acredito que como eles foram os pioneiros na cidade e essa atividade é muito sazonal, pode não fazer muito sentido o surgimento de concorrentes, embora não posso afirmar isso com certeza.

Você pode acessar o site da Rafting Montreal clicando aqui.

Você pode encontrar algumas agências de turismo ou sites vendendo essa aventura no rio Saint-Laurent, mas no fim das contas, apenas a Rafting Montreal opera com exclusividade. Portanto, é provável que você pague mais caro comprado em outros lugares.

Quanto custa essa aventura?

Os preços continuam os mesmos que paguei em 2023, o que é um bom sinal. No entanto, é sempre recomendável consultar o site para obter as informações mais atualizadas.

PUBLICIDADE

  • Crianças de 6 a 12 anos: $43 CAD + impostos
  • Adolescentes de 13 a 17 anos: $50 CAD + impostos
  • Adultos: $60 CAD + impostos

Esses valores são para uma atividade com duração de 3 horas, sendo que metade desse tempo é dedicado exclusivamente à preparação e treinamento de segurança.

Note! Os sapatos, prendedores de óculos, fotos e outros itens são cobrados separadamente. Para mais informações, consulte o site ou um atendente no local.

Preparação e equipamentos necessários para o Rafting

A preparação para o rafting em Montreal envolve alguns passos importantes. Primeiramente, é essencial usar roupas adequadas para a atividade, como roupa de banho ou roupas leves que possam secar rapidamente. Além disso, é recomendável levar uma muda de roupa seca para trocar após a atividade.

Rafting em Montreal roupas
Rafting em Montreal: roupas e preparação – Fonte: Arquivo pessoal
Ícone de Dicas Dica Importante!
Caso você não tenha sua própria roupa de neoprene, será necessário utilizar as fornecidas gratuitamente no local, cuja higienização pode ser um pouco questionável. Para evitar o contato direto delas com a pele, eu e minha esposa optamos por usar uma malha por baixo, como shorts de lycra, juntamente com camisas de proteção solar. Observe a camisa vermelha visível em meu braço.

Além da roupa de neoprene obrigatória devido à temperatura da água, também é necessário usar calçados impermeáveis, como sapatos para trilhas, botas de neoprene ou Crocs, que podem ser alugados no local por uma taxa adicional.

Optamos por comprar os nossos na Amazon (a partir de $20 CAD), mas você pode encontrar outras opções na mesma faixa de preço ou um pouco mais caras em lojas como Decathlon ou Sports Experts. Como fazemos muita coisa na água durante o verão, esse é um item que vale a pena ter no armário.

Water Shoes Rafting em Montreal: Desafie sua coragem enfrentando as corredeiras do Rio Saint-Laurent

SEEKWAY Water Shoes Women Men Quick-Dry Beach Aqua Socks Barefoot Non Slip Swim Pool Outdoor Surf River Lake Yoga 

Este sapato foi projetado tanto para uso na água quanto em terra firme. A sola de borracha pode proteger os pés de objetos pontiagudos, como pedras, cascalho, conchas e de queimaduras na areia quente ou no calçadão.

Quanto aos equipamentos, além roupa que eu já mencionei, você também recebe um colete salva-vidas e capacete.

Dica extra para quem usa óculos! Como eu e minha esposa usamos óculos, tivemos que comprar dois prendedores de silicone, que acredito que custaram cerca de $5 CAD cada. Sem eles, é muito provável que você os perca durante o passeio.

Treinamento de segurança

Antes de começar, os guias geralmente dividem as pessoas em grupos de 10 para fornecer as orientações iniciais. Eles agrupam os falantes por idioma, então normalmente temos grupos em inglês, em francês e aqueles que falam ambos os idiomas.

O foco do treinamento é principalmente aprender a executar tarefas como remar normalmente, remar com força e se abaixar no bote conforme as situações das corredeiras vão surgindo. Além de procedimentos a serem adotados caso o bote vire ou alguém caia dele durante o percurso.

É bem engraçado de ver, pois começamos em terra e depois repetimos várias vezes quando já estamos no bote. Depois de muitos gritos exaustivos para remar e abaixar, o passeio segue com 3 botes, cada um com um guia que conduz o trajeto.

Rafting em Montreal
Rafting em Montreal: Partiu corredeiras! Fonte: Arquivo pessoal

Para aqueles que estão curiosos sobre os gritos, vou explicar. Em atividades em grupo como essa, onde o barulho das corredeiras é muito alto e risco de acidentes é grande, é necessário que todos gritem juntos para que funcione como um eco. Isso porque quem está na frente do bote pode não ouvir o comando do guia que está no fundo do bote.

PUBLICIDADE

Avaliação: Vale a Pena Praticar Rafting em Montreal?

Conforme venho fazendo em guias de aventura no blog, deixo na tabela a seguir minha visão geral da minha experiência.

CritériosAvaliação
Estrutura e equipamentos⭐️⭐️⭐️
Cortesia no atendimento⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Profissionalismo do guia⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Adrenalina do passeio⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Extras (fotos e vídeos)⭐️⭐️
Segurança⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Trajes de proteção (higiene)⭐️⭐️
Sistema de Reserva Online⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Atendimento bilíngue (Guia)⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️
Custo-benefício *⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️

Minhas impressões pessoais sobre o serviço

Como não tenho uma base de referência para comparação e há apenas uma única empresa operando em Montreal, avaliar o critério custo-benefício torna-se difícil. Por outro lado, considerando algumas atrações outdoor onde já paguei o mesmo valor ou até mais, acho que é bastante justo pelo que é oferecido como experiência.

Meu conselho é: se você não gosta de emoções fortes, como as de montanhas-russas, velocidade, ou não se sente confortável em rios, é melhor evitar o rafting. Embora possa parecer fácil à primeira vista, essa atividade exige força e equilíbrio, pois você rema sentado na lateral do bote apoiando sob uma única perna dentro dele. Se não estiver em boa forma física, também deve ser evitada.

Dois inocentes sem saber o que vinha pela frente
Pose de bailarina e muito crossfit nos braços – Fonte: Arquivo pessoal

Ao longo do percurso, enfrentamos três níveis de corredeiras e, apesar de serem relativamente curtas, exigem um certo esforço para enfrentá-las, especialmente quando você está em um grupo de pessoas que não estão muito dispostas a remar, como foi o caso do grupo em que estive.

Durante o percurso, o guia também pergunta se alguém está interessado em dar um mergulho nas águas do rio antes de entrar nas corredeiras e também no final delas. Muitas pessoas pularam, inclusive minha esposa. Eu optei por ficar de fora nessa, pois honestamente não achei que alguém estaria disposto a me puxar de volta para o bote depois de ver o tamanho da criança. Risos.

Ao final da aventura, remamos em direção à margem mais próxima, onde o ônibus da empresa nos aguarda para nos resgatar. Em seguida, fazemos um esforço conjunto para colocar o bote em cima de um reboque e retornarmos ao ponto de partida.

Minha única ressalva foi em relação a três aspectos:

Primeiro, a limpeza e conservação dos equipamentos deixaram a desejar, pois as roupas de neoprene estavam em péssimo estado, assim como o estado do bote.

Em segundo, vale ressaltar a infraestrutura oferecida em relação aos banheiros, pois não há chuveiros disponíveis. Se você é um morador local como eu, isso não é o fim do mundo, mas fiquei pensando como os turistas lidam com essa situação.

Por último, a qualidade e quantidade das fotos tiradas, além de não oferecerem um serviço de filmagem para poder comprar depois do passeio.

PUBLICIDADE

No geral, a aventura nas corredeiras superaram minhas expectativas e achei que o passeio realmente valeu a pena. Tanto que nem levei em conta os pontos negativos que listei. Em pouco mais de uma hora na água, você sai com aquela sensação de ter passado por um teste de resistência.

Se tiver a sorte de pegar um guia brincalhão e um grupo animado, vai dar muitas risadas.

Dicas e recomendações para uma experiência melhor

  1. Roupa: Se possível, recomendo o uso de sua própria roupa de neoprene. Este é um item bastante acessível e útil para quem mora no Canadá e gosta de atividades na água. Não me senti confortável em usar algo que já havia sido usado algumas vezes no dia por outra pessoa, especialmente quando se trata de algo em contato direto com a pele. Além disso, encontrar um tamanho XXL não é tarefa fácil para mim.
  2. Óculos: Se você não pode dispensar seus óculos de sol ou de grau, sugiro comprar prendedores de silicone em outro lugar, pois será muito mais barato. O mesmo vale para os sapatos.
  3. Filmar: Para capturar toda a aventura, como no vídeo que mostrei, traga sua própria câmera tipo GoPro. Percebi que alguns capacetes fornecidos no passeio até têm suporte para esse tipo de câmera. Como achei que seria possível filmar com o celular, o que não é viável, acabei perdendo a chance de registrar a aventura como planejava.
  4. Época: Se não gosta de água fria e prefere uma experiência com menor nível de adrenalina, sugiro escolher o final de julho e agosto para fazer o passeio.

Perguntas frequentes sobre o Rafting em Montreal

É necessário ter alguma experiência para praticar rafting em Montreal?

Resposta: Não necessariamente, mas é importante estar em boa forma física, já que mesmo as corredeiras variam de intensidade de 1 a 4. É ideal estar preparado para qualquer eventualidade. Para mim, foi a primeira vez e achei que foi tranquilo, mesmo considerando que meu peso não me ajuda muito com a flexibilidade em alguns momentos.

2. Eu não sei nadar, isso vai ser um problema?

Resposta: Mesmo usando um colete salva-vidas, acho algo muito arriscado para fazer sem saber nadar, mesmo que eles informem no site que é possível.

3. Qual é a idade mínima exigida para fazer rafting em Montreal?

Resposta: Toda a pessoa menor de idade (com menos de 18 anos) deve estar acompanhada por um adulto durante toda a atividade. No nosso grupo um dos botes tinha uma criança de 12 anos, mas ela tem de ir no centro do bote e sem remar.

4. Eu tenho que reservar? Com quanto tempo de antecedência?

Resposta: É difícil prever isso, mas no site eles recomendam que faça isso com pelo menos 2 semanas de antecedência caso esteja em dupla. Para grupos, a empresa recomenda que você entre em contato com eles um mês antes da data desejada. Eu reservei com uma semana de antecedência e foi de boa.

5. Da para fazer se chover?

Resposta: Em caso de chuva, as atividades ainda acontecerão. Se houver tempestades ou condições climáticas ruins, eles em contato com você para devolver seu pagamento. No dia que fizemos eu fiquei um pouco cabreiro, pois havia uma neblina, mas isso não nos impediu.

6. Existe um limite de peso?

Resposta: Essa foi uma pergunta crucial para mim, pois, na época, com meus 125 quilinhos, pensei que isso poderia ser um impedimento. A única preocupação que você deve ter é se o colete salva-vidas vai fechar.

7. Há algum peixes ou outros animais grandes no rio com os quais devo me preocupar?

Sim, embora não seja mencionado no site do Rafting Montreal, encontrei relatos sobre a presença de pequenos esturjões no rio Saint-Laurente com esse aí da foto. Você até consegue ver um desses monstrinhos de perto no Montreal Biodome. Brincadeira minha gente, essa foi só para assustar mesmo, não há relatos de incidentes entre humanos e esturjões nos rios do Canadá.

Esturjao Creditos ben wicks
Esturjão gigante encontrado nos rios do Canadá – Créditos: Ben Wicks (Vancouver)

Alternativas ao Rafting em Montreal

A prática do rafting na província de Quebec ou em seu vizinho Ontário é bastante acessível, considerando que essa região possui uma das melhores geografias hidrográficas da América do Norte para a prática desse esporte.

PUBLICIDADE

Conversando com alguns moradores locais de Quebec, eles me recomendaram buscar empresas que oferecem o passeio no La Rivière Rouge (Rio Vermelho). No entanto, para essa opção, é necessário um pouco mais de preparo e planejamento, pois estamos falando de uma distância de aproximadamente 100 km, cerca de uma hora e meia de carro saindo de Montreal.

Para mais informações, você pode acessar este link aqui.

Estamos planejando encarar mais essa aventura no verão de 2024. Prometo que depois de tentar experimentar irei publicar meu review.

Se está em busca de fortes emoções e belezas naturais de Quebec, não deixe de conferir este outro guia: Descubra o encanto das Baleias em Quebec: Guia Completo para uma Viagem Inesquecível

Com isso, encerro por hoje. Não se esqueça de se inscrever em nossa newsletter para receber atualizações semanais com estudo, trabalho, imigração e a vida no Quebec.

Nos vemos no próximo post! 😀

Esse artigo foi útil para você?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Ajude mais pessoas compartilhando esse artigo em suas redes sociais

SOBRE O AUTOR

Pernambucano de raiz longe da terrinha desde 2018. Mais de duas décadas dedicadas à tecnologia web, comércio eletrônico e marketing. Nas horas vagas, sou pai, esposo, apaixonado por ciclismo, blogueiro e tiktoker. Enfin, é isso que eu faço.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Deixe um comentário